quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Não tenho tempo, o tempo voou, nossa hoje não...tô numa mega correria nem almoçei

Repetia muito as frases acima, acreditava e deixava os compromissos e os "nãos" se multiplicarem e atropelarem o meu dia a dia, confesso que fiz parte desse ciclo vicioso. Fiquei meses pensando como otimizar o meu tempo e consegui chegar à algumas conclusões, primeiro relacionei todos os compromissos e papéis, eu disse todos, sem excessão ( casa, filho, profissional, família, amigos, colegas, projetos sociais, carro, pessoal, projetos, blogs, facebook, etc ), depois priorizei os assuntos mais importantes e que me deixavam motivada, contabilizei as horas saudáveis do dia e no final fiz uma sonhada lista de "nãos" que aos poucos foram mentalmente exercitados diariamente e quase fiz aquele exercício em frente ao espelho, mas ufa não foi necessário e aos poucos eles começaram a serem projetados e que alívio, parece que à partir do primeiro "não" tudo flui mais leve e até tenho a impressão que as pessoas parecem sentir que um "não" está prestes a ser lançado ao espaço e aí dão os seus pulos, se mobilizam conforme os próprios recursos e evitam de te pedir coisas que as mesmas poderiam fazer sozinhas e não as executam por pura "wood face", preguiça ou comodismo mesmo, constatei também que na maioria das vezes somos responsáveis pela ação do outro, devido acúmulo de afazeres e total responsabilidade e não conseguimos nos desconectar do assunto, tudo isso se enquadra em qualquer cenário, em casa, na rua, no trabalho, nas pequenas ações do dia-a-dia, etc. Hoje posso afimar que sou bem mais flexível e coloquei em prática algo que me faz muito bem, eu curto muito o meu dia, otimizo o meu precioso tempo, me respeito e as pessoas também me respeitam. Faço tudo isso sem brigar, reclamar, eu simplesmente dou parâmetros, divido tarefas, peço ajuda, digo não consigo, etc. Confesso que aprendi tudo isso errando e muito podem ter certeza !

Nenhum comentário:

Postar um comentário