domingo, 22 de fevereiro de 2009

Meus amigos silenciosos

Depois de muitas decepções e algumas amizades que sobraram, acredito que aprendemos tarde a não chamar qualquer um de amigo. Quando passamos por alguma fase negativa, crise ou algo que não seja tão positivo afastamos algumas pessoas da nossa vida, é triste mas é real, passei por algumas fases e comigo foi assim, aos poucos tive o prazer de conviver com outras pessoas que tiveram ou passaram pelas mesmas experiências e comprovamos que alguns amigos só estão ao nosso lado para serem acolhidos, mamar e desfrutar das melhores coisas que possuímos e que quando a casa cai, quando um mínimo problema acontece "os amigos" somem. Aí paramos e contamos quantos amigos temos em uma única mão, e ficamos tristes, decepcionados e com aquela sensação de que não temos tanto amigos assim, então descobri que mais vale ter 5 bons amigos do que ter 20 e depois descobrir que não tem nem 3, é foda ! Nesse tempo de mudança, transformações, equilibrio, descobertas, me apeguei muito no meu filho que me ensina muito, nos poucos amigos de almas gigantes que sobraram, na música que sempre me passa algo de muito bom e nos livros. Confesso que conquistei outros tipos de amigos, alguns deles que são os meus amigos silenciosos, e são eles livros, plantas, flores, sol, árvores, cachorros, gatos, etc. Entre os acima citados nunca falei sobre os meus amigos livros. Aqueles que nos espera, que não ficam buzinando de terem sidos esquecidos, nos aceitam do jeito que somos, respeitam nossos horários, não fazem cobranças e o encontro acontece e acaba quando a gente determina, atualmente estou com alguns na minha cabeceira, tais como: "O Som do Silêncio/Luiz Carlos Lisboa", The Bealtes "Letras e canções", "A Cidade do Sol" Khaled Hosseini, "Comer, Rezar e Amar" Elizabeth Gilbert, "Organize-se" - Donna Smallin e "A enciclopédia de Música".Dependendo do meu estado de espírito começo a ler um ou outro, viajo na história, nas palavras, nas frases que sempre tem algo a nos ensinar, a somar , ou a fazer com que a gente reflita em algum momento sobre aquilo, está tudo registrado como salvo numa pasta do seu computador e quando menos esperamos pegamos aquela velha referência arquivada e a colocamos em prática, simples assim... A leitura é realmente um mundo sem preconceitos. Nunca é tarde para começar a ler, eu por exemplo nunca fui estimulada à leitura e mesmo assim eu adoro ler, e posso garantir que essa descoberta foi bem mais prazerosa. Faço um convite a viagem das palavras ;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário