sábado, 11 de abril de 2009

Cartas em extinção

Cartas eram guardadas com carinho, com mais atenção e muito cuidado, como se fosse uma jóia rara, mas agora com a concorrência do famoso email, elas perderam um pouco de espaço no nosso armário, caixa, livro ou outra forma de esconderijo. Emails, extintas cartas, ficam aramazenados em pastas guardadas num hd/memória não tão seguro como a carta escrita a mão. Muitas pessoas e inclusive eu perdemos nobres frases, alguns desabafos, muitos puxões de orelhas, algumas confidências, outras terapias, outros elogios, etc, pois os mesmos estavam na memória do computador que perdeu o hd. As cartas tem a marca de quem o escreve, muitas vezes o cheiro, a energia, podemos pelos "cacos escritos" ouvir a pessoa falando bem próximo ao nosso ouvido, e essa viagem é muito boa. Tais cartas viram documentos, expressam o amor, cuidado, carinho, etc. Tudo isso para dizer porque prefiro escrever bilhetes, cartas, cartões, etc. Quero enviá-los com todo carinho, especialmente escritos a mão desenhando cada letra, exprimindo minhas palavras, relatando minha emoção, quero deixar a minha marca registrada e não um email arquivado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário